ÚLTIMAS

Outras notícias

9 ANOS INFORMANDO A NOSSA GENTE

Enfermeiro estupra e mata menina de 5 anos dentro de hospital

A Polícia Civil do Amazonas prendeu em Atalaia do Norte, na manhã de quarta-feira (17), por volta das 9h30, o enfermeiro Jocélio Gomes Ferreira, 29, denunciado por abusar sexualmente de uma menina de cinco anos nas dependências de um hospital no local. Enfermeiro do Satanás estupra e mata menina
A ação foi realizada pela equipe de investigação da 50ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), de Atalaia do Norte, sob o comando do gestor interino da unidade policial, David Morais, em ação conjunta com policiais militares que atuam naquele município.
De acordo com Morais, o crime aconteceu na noite da última terça-feira (16/04), por volta das 23h. O policial civil relatou que a vítima estava internada na unidade hospitalar, onde Jocélio trabalhava, para tratar uma infecção.
Conforme o gestor interino da 50ª DIP, a mãe da criança, uma mulher de 39 anos, teria se ausentado por alguns instantes da ala pediátrica, onde a filha estava internada, para fazer um curativo. Quando retornou ao local, a mãe da menina encontrou o enfermeiro com as calças abaixo do joelho, ao lado do leito da criança.
“Ao ser questionado pela mãe da menina sobre as condições que se apresentava no local, o infrator justificou que estava retornando do banheiro porque precisava aplicar um medicamento na criança. Imediatamente, a mulher saiu em busca do médico responsável pelo plantão e o levou até o leito, onde encontrou a menina sem a fralda descartável que utilizava. A criança estava com a respiração alterada, rigidez nas pernas e visível abalo emocional. Em decorrência disso, a menina teve o estado agravado decorrente do trauma psicológico causado pela violência sexual e veio a óbito por volta das 3h20 de quarta-feira (17)”, explicou Martins.
O gestor interino da 50ª DIP disse, ainda, que a menina era uma pessoa com deficiência intelectual. Logo após o falecimento, o médico, na presença da mãe e de duas técnicas de enfermagem, examinou as partes íntimas da criança, constatando trauma por introdução de objeto contuso, pênis ou dedo, no ânus da criança, que apresentava lacerações de quatro centímetros na parte inferior. Então, a diretora do hospital, o médico responsável pelo plantão e um conselheiro tutelar formalizaram a ocorrência na 50ª DIP.
”Após sermos informados sobre o caso, saímos em diligência, junto com a guarnição da Polícia Militar, em busca do infrator, localizado na casa da irmã dele, situada na rua Cunha, bairro Centro, em Atalaia do Norte, onde Jocélio foi preso em flagrante por estupro de vulnerável. Em seguida, nós o conduzimos até a delegacia, onde foram realizados os procedimentos cabíveis”, esclareceu o policial civil.
Reincidente – O gestor David Martins informou que em consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) foi verificado que Jocélio já respondia, junto à 2ª Vara da Comarca de Iranduba, processos por estupros de vulneráveis, cometidos em maio, junho e novembro de 2017.
“O enfermeiro foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável. Agora ele irá permanecer preso na carceragem da 50ª DIP, que funciona como unidade prisional em Atalaia do Norte”, concluiu.

Morre, aos 40 anos, o funkeiro MC Sapão

Assessoria de imprensa do funkeiro Jefferson Fernandes Luiz, mais conhecido como MC Sapão, de 40 anos, informou o falecimento do mesmo na tarde desta sexta-feira (19) no Hospital municipal Rocha Faria, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio.
“É com grande pesar que informamos o falecimento do cantor MC Sapão. Peço à imprensa que aguarde as nossas informações oficiais”, dizia o comunicado.
De acordo com nota oficial da equipe de Sapão, “ele deu entrada no hospital, com quadro de pneumonia e estava no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) da unidade”. Sapão, que ainda sofria com quadro de obesidade e diabetes, estava em turnê e com divulgação da sua nova música Deixa ela dançar, em parceria com o cantor venezuelano Labarca.
“Devido as variações de temperatura referente das localidades dos shows, contraiu uma gripe desencadeou uma pneumonia. O cantor retornava de um show com sua banda e equipe na van, que levaram para o hospital mais próximo, no caso o Rocha Faria”, ainda dizia o comunicado.
O cantor deu entrada na unidade no último dia 10 de abril com quadro de pneumonia.
Segundo o boletim enviado pela assessoria de imprensa do funkeiro na tarde de quinta-feira, o estado dele era “estável, porém grave”. No dia anterior, o cantor apresentava o quadro de saúde “grave e instável”.
A nota informava ainda que os quatro filhos do cantor não podiam visitar o pai na UTI. Sapão deixa quatro filhos: Pedro, de 15 anos, Kevin, de 12, Odara, de 10, e Brisa, de 7. Apenas a mulher, Alessandra Fernandes, estava em contato com o artista, dando suporte ao marido enquanto enfrentava a enfermidade. Ela também ajudava em casa, aos filhos, que ficaram sabendo da gravidade do estado de saúde do pai pela internet, através da imprensa.

Bita do Barão acaba de falecer em Teresina (PI)

Foi confirmado na tarde desta quinta-feira (18), a morte do famoso pai de santo Bita do Barão. A informação foi confirmada pela sua filha.
“Papai Infelizmente veio a falece aqui no hospital. Estamos cuidando para o corpo ir pro Codó onde acontecerá seu velório”, disse Janaina Nonata de Souza, filha do pai de santo
Bita do Barão estava internando há cerca de quatro dias na UTI do Hospital São Paulo, em Teresina. A sua morte ocorreu no início da tarde desta quinta-feira. O corpo será levado ainda hoje (18) para a cidade de Codó. Onde centenas de pessoas aguarda para o velório. 
O velório vai acontecer na residência do pai de santo na rua Rui Barbosa, no Centro de Codó.

A trajetória do pai de santo Bita do Barão

Conhecido internacionalmente, Wilson Nonato de Souza (106 anos), mais conhecido como Bita do Barão, é um famoso pai de santo de Codó, interior do Maranhão. O umbandista recebeu do ex-presidente José Sarney o título de Comendador da República, na década de 1980.
Filho de Cirilo Bispo de Souza (caxiense) e Olívia Ferreira de Souza (codoense), Bita do Barão nasceu no dia 10 de julho de 1912. Iniciou-se nos cultos afros aos 5 anos de idade, realizando trabalhos espirituais na localidade Santo Antônio dos Pretos, zona rural de Codó.
O pai de santo revelou que na infância ganhou do padrinho o apelido de “Bita” devido ser uma criança muito agitada. A palavra significa bode, no linguajar da cidade. O nome “Barão” recebeu por causa da entidade que diz incorporar desde os 15 anos de idade, o Barão de Guaré.
O pai de santo é fundador da Tenda Espírita de Umbanda Rainha de Iemanjá. No local, que funciona desde o dia 24 de junho de 1954, acontece anualmente dois grandes eventos: Festejo aos Santos e Orixás, realizado no mês de agosto, e o Festejo de Santa Bárbara, comemorado em dezembro. Milhares de pessoas, incluindo turistas de outros países, visitam Codó todos os anos para acompanhar as duas festas.
Adepto do Terecô, uma das religiões afro-brasileiras praticadas pelos umbandistas codoenses, Bita do Barão também é conhecido no Brasil por sua proximidade com a família Sarney. Dentre as diversas histórias, contam que o pai de santo teria feito um despacho para que José Sarney assumisse o lugar de Tancredo Neves, morto no dia 21 de abril de 1985. Em entrevista ao jornalista Arthur Veríssimo, no ano de 2015, o umbandista negou a informação.
“Não, senhor. E, se tivesse feito, não falaria. Não tenho nada a ver com isso e não quero nem falar. Que Deus tenha o Tancredo lá junto dele, pronto”, disse.
A ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney, é madrinha de batismo da neta de Bita do Barão. Sempre que passa por Codó, ela faz questão de visitar a residência do pai de santo.
O mais popular pai de santo do Maranhão conseguiu, no dia 06 de agosto de 2015, mudar o seu nome de batismo. O juiz Holídice Cantanhêde Barros autorizou a mudança e o umbandista passou a assinar como Wilson Nonato Bita do Barão de Sousa.
Bita do Barão de Guaré deixará seu nome marcado eternamente na história de Codó.

Taxista que sequestrou e estuprou menina de 11 anos é preso

O taxista Rillir de Moraes Bastos, de 45 anos, foi preso na manhã desta quarta-feira (17), na casa onde ele morava, no bairro Armando Mendes, Zona Leste de Manaus, acusado de sequestrar e estuprar uma menina em 2017, na época a vítima tinha 11 anos.
De acordo a delegada titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) Joyce Coelho, a vítima só relatou o abuso à família um ano após o ocorrido, no final de 2018, depois da terceira tentativa de suicídio e de ser internada na UTI de um hospital da cidade.
“Trata-se de uma vítima abusada sexualmente ainda na infância, que passou um ano sofrendo os traumas dessa violência. Após contar o fato, a mãe trouxe a vítima até a delegacia, onde foi registrado o boletim de ocorrência. Nós identificamos o acusado e, diante da gravidade da situação, representamos de imediato pela prisão preventiva dele, que foi acolhida pela Justiça”.
Após a violência, a menina que hoje tem 13 anos e está recebendo acompanhamento profissional, deixou de estudar a passou a apresentar transtornos psicológicos que culminaram nas tentativas de suicídio.
O crime
A menina relatou que foi abordada enquanto andava em uma das ruas do bairro Armando Mendes e foi puxada para dentro do veículo, onde o estupro foi consumado. Após a violência, a menina passou a ser coagida pelo agressor, para que não denunciasse o fato.
“Ela nos contou que, após o abuso, passou a receber algumas ligações telefônicas, de números privados, com ameaças para que não fizesse a denúncia. Tudo isso acabou inibindo-a mais ainda a falar sobre o que ocorreu”.
Prisão
O taxista foi preso nesta quarta-feira, na residência onde morava, no mesmo bairro em que o crime ocorreu. Ele não tinha passagens anteriores pela polícia e vai responder por estupro de vulnerável, em que a pena varia de oito a 15 anos de prisão. Ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde ficará à disposição da Justiça.
Segundo a delegada, o acusado após ser preso permaneceu calado. Ele já havia sido ouvido em uma primeira oportunidade, onde negou ter cometido o crime.
A menina relatou que foi abordada enquanto andava em uma das ruas do bairro e foi puxada para dentro do veículo, onde o estupro foi consumado. Após a violência, a menina passou a ser coagida pelo agressor, para que não denunciasse o fato.
“Ela nos contou que, após o abuso, passou a receber algumas ligações telefônicas, de números privados, com ameaças para que não fizesse a denúncia. Tudo isso acabou inibindo-a mais ainda a falar sobre o que ocorreu”.
FOTOS: ALAILSON SANTOS/PCAM