ÚLTIMAS

Outras notícias

9 ANOS INFORMANDO A NOSSA GENTE

Pastor evangélico tem residência metralhada em Itapajé

A residência de um pastor evangélico foi alvo de um ataque criminoso na madrugada deste domingo (14), na cidade de Itapajé, Região Norte do Estado. De acordo com a polícia, por volta das 2h30, três homens em um veículo e armados efetuaram diversos tiros contra a casa pastoral da Igreja Assembleia de Deus Templo Central.

Os bandidos estavam armados com pistola calibre ponto 40 e escopetas calibre 12. Os tiros atingiram o portão da residência, além das janelas, paredes e alguns veículos que estavam dentro do local.

No momento da ação, o pastor José Costa Melo (Pastor Zezinho) e seus familiares estavam na casa, porém, ninguém se feriu. Câmeras do circuito de segurança filmaram toda a ação e as imagens já foram repassadas para a polícia.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que a Polícia Civil está investigando o ataque criminoso. "A Delegacia Municipal de Itapajé apura as circunstâncias do ocorrido e não divulga mais detalhes para não comprometer o andamento das investigações", informou a pasta.

A Polícia Militar intensificou o patrulhamento na região, com equipes do Policiamento Ostensivo Geral (POG), Força Tática e Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio). A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) também foi acionada para realização de perícia no local. Nenhum suspeito foi preso. (Diário do Nordeste)

Governo declara estado de emergência em Forquilha após foco de peste suína

Está proibida a saída de suínos e demais produtos de risco para peste suína, justificada pela necessidade da “imediata aplicação de medidas específicas para contenção e eliminação” do vírus, prevenindo a disseminação para outras áreas do Estado.

Pelo menos 109 porcos serão abatidos por conta do vírus. A Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri) informou que foram intensificadas as ações de vigilância epidemiológica e que todas as medidas mitigatórias estão sendo tomadas para o controle da doença e de consequentes prejuízos econômicos ao setor.  

A doença 
A peste suína clássica é fatal para os suínos domésticos e selvagens mas não traz riscos à saúde humana e nem às demais espécies de animais domésticos.
A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) informou que não há riscos de disseminação da doença que afete a produção nacional. O problema foi informado à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).
A ABPA esclareceu que a Peste Suína Clássica é menos grave que a Peste Suína Africana e tem processo de erradicação mais eficiente.
Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o caso não deve interferir nas exportações do Brasil, cujos produtos são de criações de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
Amorim Sobreira, diretor de Sanidade Animal da Adagri, informou nesta quinta, 11, ao O POVO, que o sacrifício dos 109 animais vai ser feito nos próximos dias. “Precisam providenciar alguns detalhes, como o local, a máquina para cavar as valas onde os animais serão enterrados"
Amorim detalha que no Ceará existem aproximadamente 20 grandes produtores com produção a partir de 300 matrizes, com população de suínos em torno de 1,1 milhão de animais.

Prejuízos 
Segundo Paulo Hélder, presidente da Associação de Suinocultores do Ceará (Asce), fundos do Rio Grande do Sul e Santa Catarina serão direcionados para ressarcir o produtor da propriedade em que o foco foi encontrado.

Os dois estados têm interesse na resolução do problema, por serem grandes exportadores da carne para o exterior. Paulo alerta que os estados poderiam ser prejudicados, já que um foco da peste existe no País e poderia impedir essa exportação. 

Marcelo Lopes, presidente Associação Brasileira de Criadores de Suínos, acrescenta que os procedimentos de biossegurança devem proteger as produções que comercializam os porcos. "Tomamos todos os cuidados, como bloquear o transporte de animais de um estado para o outro".

Fonte: O Povo

Adagri lança nota sobre Síndrome Hemorrágica dos Suínos em Forquilha

Após notificação de mortalidade de suínos em uma propriedade do município de Forquilha, os Fiscais Médicos Veterinários da Adagri de Sobral realizaram atendimento na propriedade para verificar se os animais apresentavam sintomatologia compatível com a Síndrome Hemorrágica dos Suínos. Identificando que se tratava de uma suspeita fundamentada, os técnicos coletaram amostras dos animais doentes e encaminharam ao laboratório de referência nacional do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA (LANAGRO/PE).

Desde o dia 05/10/2018, foram deslocadas equipes de Fiscais Médicos Veterinários da Adagri e do MAPA para apoiar e complementar as ações preventivas e de controle já iniciadas pela Adagri da região. Após confirmação do foco de PSC no dia 06/10/2018, foram intensificadas as ações de Vigilância Epidemiológica nas propriedades circunvizinhas e nos possíveis vínculos, sendo realizadas atualizações dos rebanhos, verificação das condições higiênico-sanitárias, inspeção clínica dos animais e educação sanitária nas propriedades.


Os criadores foram informados sobre os principais sinais clínicos da doença: apatia, perda de apetite, febre (41°C) com amontoamento dos animais, incoordenação motora, ataxia, diarreia, conjuntivite, petéquias (pontos hemorrágicos), cianose da pele e alta mortalidade em animais jovens.

Entenda

A Peste Suína Clássica (PSC) é uma enfermidade viral multissistêmica que acomete os suínos domésticos e selvagens. A doença não traz riscos a saúde humana e nem as demais espécies de animais domésticos. A PSC é causada pelo Pestivirus, da família Flaviviridea, e é altamente contagiosa entre suídeos, trazendo prejuízos socioeconômicos e sanitários graves, dificultando ou impossibilitando o comércio internacional de animais e produtos de origem animal.

A Adagri continua atenta ao surgimento de novos casos e informa que todas as medidas mitigatórias estão sendo tomadas para o controle da doença e consequentes prejuízos econômicos ao setor. Já foram feitas inspeções clínicas nas propriedades num raio de três quilômetros do foco, interdição de propriedades suspeitas, além de barreiras sanitárias (proibição do trânsito de suínos na região).

Alerta

A Adagri solicitamos que casos suspeitos sejam imediatamente comunicados aos escritórios do órgão distribuídos pelo Estado do Ceará ou pelo telefone: 0800-280-0410.

Foco de peste suína é isolado no Ceará e animais serão sacrificados

Um foco de peste suína clássica foi identificado em propriedade de criação familiar, no município de Forquilha, no Ceará. A área já foi isolada para impedir que o vírus se espalhe.
 
O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec), Flávio Saboya, informou que tomou conhecimento do caso nessa segunda-feira, 9. Segundo o titular, as medidas para conter o problema já estão sendo tomadas. Ele afirma que os suínos serão sacrificados.
 
De acordo com Paulo Hélder, presidente da Associação de Criadores de Suínos no Estado, os animais infectados pelo vírus apresentam febre, manchas e fraqueza. Ele acrescenta que o Estado não poderá exportar suínos para outros locais enquanto a situação não for normalizada.
 
Os proprietários dos animais que serão sacrificados deverão ser ressarcidos, conforme Paulo Hélder. Segundo ele, o valor de mercados foi informado e um financiamento do Rio Grande do Sul e Santa Catarina deve ser repassado para fazer a indenização.
 
Os dois estados têm interesse na resolução do problema por serem grandes exportadores da carne para o exterior. Paulo Hélder alerta que as unidades poderiam ser prejudicadas, já que um foco da peste existe no País e poderia impedir essa exportação. 
 
Em nota, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) informou que não há riscos de disseminação da doença que afete a produção nacional. O órgão afirmou que o problema foi informado à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e está localizado a 3,5 mil quilômetros dos principais polos de produção e exportação de carne no País.

Segundo a ABPA, a peste está à 500 quilômetros da zona livre de comercialização dos suínos, que abrange 17 estados brasileiros, o qual o Ceará não faz parte. A associação esclareceu que a Peste Suína Clássica é menos grave que a Peste Suína Africana e tem processo de erradicação mais eficiente.