CORONAVÍRUS (COVID-19) BOLETINS EPIDEMIOLÓGICO FORQUILHACEARÁBRASIL UMA LUTA DE TODOS NÓS

Golpes contra trabalhadores desempregados aumentam no período de crise

O número atual de desempregados no País, cerca de 12 milhões de brasileiros, é também a mesma quantidade de potenciais vítimas para os golpistas. Estas pessoas veem nos trabalhadores desempregados uma possibilidade de aplicar fraudes, diante da necessidade e da dificuldade de encontrar vagas formais de trabalho no Brasil atual.
Os golpes vão desde de oferta de emprego para atrair trabalhadores e vender cursos, passando por trabalho de graça para concorrer à vaga, e até pirâmides quando se exige um pagamento de taxa para ter a carteira de trabalho assinada. Rodrigo Carelli, procurador do Ministério Público do Trabalho (MPT), afirma que a pessoa não deve pagar qualquer taxa para conseguir uma vaga. Deve desconfiar de vagas vantajosas demais sem qualquer exigência de qualificação ou experiência:
“É melhor tentar se prevenir. Nesses golpes, é difícil reaver o dinheiro, porque o golpista desaparece”, diz o promotor.
Proibido cobrar
  • Empresas ou agências de emprego não podem cobrar qualquer tarifa para preencher vagas. A cobrança das despesas do trabalhador desrespeita convenção da Organização Internacional do Trabalho (OIT)
Treinamento gratuito
  • Empregadores não podem cobrar por treinamento de funcionários recém-contratados. Essa despesa é da empresa
Treinamento cobrado
  • Empresas podem oferecer cursos, desde que não estejam condicionados à conquista de vagas
Trabalho de graça
  • As empresas não podem obrigar o trabalhador a comprovar eficiência trabalhando antes de ser contratado. Há casos de empresas que pedem para que o vendedor faça três contratos antes de assinar a carteira
Contrato de experiência
  • A empresa deve assinar a carteira assim que o trabalhador é contratado. O empregador não pode alegar que os primeiros meses são de experiência. Há contrato temporário previsto em lei que permite a empresa demitir sem indenização após o tempo de experiência
Currículo na internet
  • Cobrar para divulgar currículo na internet é proibido. Qualquer despesa de intermediação de mão de obra deve ser custeada pela empresa empregadora
É curso
  • Empresas têm oferecido vagas, mas na verdade estão vendendo cursos. Contam com o momento de vulnerabilidade do trabalhador para convencer da necessidade do curso para conseguir emprego
Informações da empresa
  • Procure se informar antes de concorrer a uma vaga para saber se não há processos trabalhistas ou criminais
Benefícios demais
  • Quando a vaga oferecida é de salário acima do mercado, sem exigência de experiência e qualificação, a chance de ser golpe aumenta
Denúncias
  • O Ministério Público do Trabalho aceita denúncias contra golpes contra trabalhadores. No site http://www.prt1.mpt.mp.br/.
Com informações do Jornal Extra

Postar um comentário

Comentários com ameaças, ofensas pessoais, pornografia infantil, conteúdos preconceituosos ou qualquer outro que viole a legislação em vigor no nosso país serão excluídos. Qualquer texto publicado por meio do sistema de comentários não reflete a opinião do Forquilha Portal de Notícias ou de seus autores.

0 Comentários