Resumo

20/Geral/ticker-posts

Após 44 dias, Araraquara não tem morte por Covid em 24h; cidade teve confinamento de 10 dias

 Município teve mais 43 casos da doença e soma 16.957 nesta sexta (26). Prefeitura registra queda de casos e mortes após as medidas que restringiram a circulação em fevereiro.


Pela primeira vez após 44 dias, Araraquara (SP) não registrou óbitos por Covid-19 em 24 horas, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (26).


A cidade de 240 mil habitantes teve 10 dias de 'lockdown' em fevereiro e registrou queda de casos e mortes pela doença.


São 318 óbitos causadas pela doença desde o início da pandemia, sendo que 113 (35,5% do total) ocorreram em março.


A ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva caiu para 91% (1 ponto percentual a menos que quinta). Já os leitos de enfermaria estão com 81% de ocupação (5 pontos percentuais a mais que quinta).


O município também registrou nesta sexta mais 43 casos da doença e chegou a 16.957.


Efeito do 'lockdown'

A cidade foi a primeira cidade do estado de São Paulo a restringir a circulação de pessoas - a não ser para ir trabalhar ou buscar atendimento médico. Em 21 de fevereiro foram fechados até serviços essenciais, como supermercados e postos de gasolina, e houve a suspensão do transporte público.


Um dia antes, a cidade havia batido o recorde diário de casos confirmados, com 248 registros, o correspondente a 46% das testes analisados. O município vivia uma crise hospitalar que chegou a beira do colapso.


Para a prefeitura, a mudança do perfil da doença, que havia sido controlada por todo ano de 2020 na cidade, está relacionada a introdução da variante brasileira do novo coronavírus, identificada como P.1 e encontrada pela primeira vez em Manaus (AM). Um estudo do Instituto de Medicina Tropical da USP encontrou a variante brasileira em 93% dos casos analisados na cidade.


A medida, que a prefeitura chamou de 'lockdown total', teve flexibilização para a abertura de comércios de alimentos a partir do 7º dia. Após esse período, a cidade voltou a integrar o Plano SP, primeiro na fase vermelha e, agora, na fase emergencial.


Após um mês de ter decretado confinamento, a cidade teve redução de 39% no número de mortes e de 57,5% nos casos.

Comentários

0 Comentários